Jogadores processam Sony por práticas anti-competitivas na PlayStation Store.

Ação coletiva reclama de proibição de venda de códigos em varejistas como Amazon e Walmart.


Segundo uma reportagem da Bloomberg, um grupo de jogadores entraram com um processo contra a Sony por restringir as compras de jogos do PlayStation em sua loja interna, alegando monopólio ilegal.


Na ação coletiva proposta, os jogadores queixosos declaram que a Sony barrou a venda de códigos de jogos de Playstation nos varejistas terceirizados, como a Amazon, Best Buy e Walmart. Com isso, a PlayStation Store se tornou a única fonte de jogos digitais dos consoles.


“O monopólio da Sony permite cobrar preços “supracompetitivos” para jogos digitais PlayStation, que são significativamente mais caros do que seus equivalentes físicos vendidos em um mercado de varejo competitivo, e significativamente mais caros do que seriam em um mercado de varejo competitivo para jogos digitais”, disseram os consumidores.


“As pessoas acabam pagando até 175% a mais por jogos para download do que os mesmos títulos vendidos em mídia física”.


Até o momento, a Sony não respondeu à reportagem.


Essa ação judicial surge na mesma semana do início do julgamento da Epic Games e da Apple, que estão revelando diversos acordos da indústria. Talvez eles aproveitaram que o julgamento está em evidência, ou foi apenas uma coincidência.


Vale lembrar que muitos preços da loja são definidos pelas publishers e produtoras terceirizadas. Aqui no Brasil ainda tem diversas linhas de títulos que são mais baratas nos PCs, mas nos últimos anos diversas produtoras estão mantendo os mesmos valores em todas as plataformas por algum tempo.


Após o lançamento do PS5 e dos consoles Xbox Series X|S, a indústria iniciou um reajuste de preço, com diversos lançamentos saindo por US$ 70 na América do Norte.


fonte: The Enemy

0 visualização0 comentário