top of page

Microsoft negociou lançar exclusivos do Xbox no iOS

Em setembro do ano passado, quando o embate entre Epic Games e Apple estava começando a ganhar tração, a Microsoft posicionou-se a favor da criadora de Fortnite contra a postura da empresa do iPhone e suas duras políticas em relação à App Store.



Agora, mais de um ano depois, documentos adquiridos pelo site The Verge trazem revelações interessantes, datando a partir de fevereiro de 2020. De acordo com a documentação, a gigante de Satya Nadella e Phil Spencer na verdade chegou bem perto de aceitar os termos da corporação com base em Cupertino e lançar jogos exclusivos do Xbox no loja de apps do iPhone.


Os arquivos aos quais o site teve acesso são parte das provas utilizadas durante o julgamento da Epic Games contra a Apple, que acabou sendo julgado a favor da Maçã. Eles mostram uma sequência de troca de e-mails entre Lori Wright, diretora de desenvolvimento de negócios da Microsoft, e diversos executivos da Apple negociando a adição de títulos do Game Pass no iOS.


Enquanto a companhia de Tim Cook manteve postura rígida, exigindo que cada jogo fosse lançado individualmente como um app único, Wright tentava justificar a ideia não era exatamente amigável para os usuários. Segundo ela, ter apps exclusivos para cada game criaria "frustração e confusão para os consumidores, resultando em uma experiência abaixo da média em dispositivos Apple em comparação com a experiência em todas as outras plataformas".


Isto não foi suficiente para fazer os executivos da Maçã darem o braço a torcer e, no mês seguinte, Wright apresentou outra proposta: lançar sim os jogos em aplicativos individuais, desde que eles, na verdade, servissem como atalhos. A ideia aqui era instalar um app pequeno, que daria acesso ao sistema da xCloud, rodando os games direto de servidores da Microsoft. A executiva apontou que tudo funcionaria similarmente ao watchOS.


Em uma mensagem na qual comemorava estar cada vez mais perto de chegar a um acordo com a Apple para lançar jogos do Game Pass no iOS, Wright explicou como seria o funcionamento da solução. Com um aplicativo de streaming proprietário, de aproximadamente 150 MB, seria possível agrupar todos os games do Xbox (que pesariam em torno de apenas 30 MB cada) disponíveis na App Store e poupar tempo — além de dinheiro e mão-de-obra — quando fosse necessário efetuar atualizações.


Com isto, usuários de iPhone e iPad teriam acesso aos exclusivos triple A do Xbox, além de jogos do catálogo do Game Pass. Segundo a Microsoft, a Apple não topou o projeto e exigiu que cada aplicativo incluísse todo o sistema de streaming embutido — o que seria inviável.


A Maçã continuou afirmando que o sistema proposto pela MS não ia de acordo com as políticas da App Store. Além disso, a criadora do Xbox se recusava a adicionar compras nos aplicativos para liberar outras funcionalidades nos jogos, resultando no cancelamento das negociações.


fonte: Voxel

0 visualização0 comentário

Comments


bottom of page