PS Plus deve ser usada para revitalizar jogos, diz Shuhei Yoshida

Muitos fãs não gostaram de saber que a Sony não pretendia colocar jogos no dia de lançamento no PS Plus Extra, um dos novos planos de assinatura da companhia. E esta filosofia não deve mudar tão cedo, de acordo com Shuhei Yoshida, o chefe da divisão PlayStation Indies.



Enquanto a Microsoft coloca jogos novos no dia do lançamento no Game Pass, a Sony decidiu não seguir a mesma estratégia. Em uma entrevista para o GamesIndustry.biz, durante sua participação no evento GI Live: London, nesta quarta-feira (21), o executivo afirmou que a Sony ainda acredita em um "lançamento premium de um título" e que a vantagem está no final do ciclo de vida de jogo, ajudando a revitalizar o interesse por ele, como acontece em filmes.


"No caso do Extra, nossa abordagem é de ajudar as distribuidoras com o gerenciamento do ciclo de vida", conta Yoshida. "Eu estava gerenciando jogos first-party na PlayStation, então sei que é como nos filmes — um filme lança nos cinemas primeiro, depois vai para pay per view ou serviço de assinatura, ou para a TV gratuita, sempre gerando nova receita e alcançando um público maior", explicou.


"Da mesma forma, acreditamos no lançamento premium de um título e depois de talvez seis meses, ou três meses, ou três anos, quando as vendas do jogo diminuírem, a inclusão neste serviço, PS Plus Extra, pode ajudar a introduzir estes jogos para públicos novos e mais abrangentes", afirmou.


"Algumas pessoas podem não ter conseguido pegar estes jogos quando saíram e é uma grande chance de jogar e gerar boca a boca, ou se há uma DLC ou sequência, podemos aumentar o interesse na franquia para um público maior", concluiu, afirmando que a Sony encoraja as distribuidoras a usarem estes serviços para gerenciar o ciclo de vida de seus jogos.


Nesta semana, novos jogos foram adicionados ao catálogo para o PS Plus Extra e Deluxe, incluindo Deathloop, Spiritfarer e Watch Dogs 2. Já entre os clássicos estão títulos como Syphon Filter 2, The Sly Collection e Sly Cooper: Thieves in Time.


fonte: Voxel

0 visualização0 comentário